Nosso organismo produz diariamente diversos tipos de hormônios, que são responsáveis pela regulação de diversas atividades das nossas células. Dentre os hormônios mais conhecidos estão a testosterona, que é conhecido como o hormônio do homem, e o estrogênio, o hormônio feminino.

Assim como servem para auxiliar no funcionamento normal do nosso corpo, eles podem estimular a proliferação de alguns tipos de tumor. O câncer de próstata, o tumor mais comum nos homens, é estimulado pela testosterona. O câncer de mama, o câncer mais comum nas mulheres, em sua grande maioria, é estimulado pelo estrogênio.

Desta forma, a hormonioterapia possui papel muito importante no tratamento destes dois tipos de câncer. Esta modalidade de tratamento visa bloquear a ação desses hormônios nas células tumorais, fazendo com que o câncer não se expanda.

O bloqueio hormonal pode ser feito de várias formas: através de comprimidos, através de injeções e através de castração (que é a retirada dos testículos ou dos ovários através de cirurgia).

O que é interessante é dizer que existem alguns efeitos colaterais distintos, podendo aumentar o risco de evento cardiovascular, como trombose venosa profunda, infarto do miocárdio e acidente vascular cerebral. Há risco de osteoporose com alguns dos medicamentos utilizados. No caso do bloqueio hormonal para câncer de próstata, há risco importante de impotência sexual.

Publicado em: 23 de julho de 2021
Compartilhar:

VEJA TAMBÉM